Análise – Episódio 170 de Boruto

Agora que acalmamos um pouco as emoções que vieram à tona com o capítulo 51 do mangá de Boruto, lançado na última terça-feira (20), podemos trazer a análise do episódio 170.

O treino de Boruto

Iniciamos com Boruto ainda num impasse com o seu novo Rasengan. Nosso genin ainda não consegue evoluir o jutsu por conta de sua quantidade de chakra. Nesse momento, seu amigo Shikadai aparece preocupado. No episódio da semana passada, vimos que o trio Ino-Shika-Cho junto com o time de Shinki da Vila da Areia também enfrentaram Deepa, e tendo experienciado de perto o poder desse inimigo, Shikadai se preocupa que Boruto esteja atrás de vingança e promete parar o amigo nem que para isso tenha que enfrentá-lo numa batalha.

“É preciso ter coragem para enfrentar os inimigos, e ainda mais para enfrentar os amigos.” – Alvo Dumbledore.

É nesse momento que Boruto mostra sua real motivação para estar se empenhando tanto no treinamento. Deepa foi como um catalisador para Boruto, mostrando que tudo o que ele evoluiu até o momento ainda não é o suficiente. Ele precisa ser mais forte, precisa superá-lo para seguir em frente. Por si só, essa já é uma grande evolução para o garoto que antes mal se importava em ser um ninja, e hoje se empenha ao máximo para superar seus limites e ganhar mais força.

Entendendo que seu amigo não está atrás de uma vingança, Shikadai decide ajudá-lo a treinar. Unindo novamente a nova geração do trio Ino-Shika-Cho, ele monta uma estratégia para o treinamento de Boruto. Apesar do episódio chamar “Um novo Rasengan”, Shikadai diz para Boruto esquecer, por agora, a mudança de natureza que aprendeu em seu novo jutsu e focar o poder destrutivo do “Rasengan que desaparece” em um único ponto. Às vezes, para solucionarmos um problema, precisamos dar um passo para trás, para então conseguirmos dar dois para frente.

Após um dia de treino, que pareceu não ter muitos resultados, Boruto parece ter um insight enquanto conversava com Shikadai. Exatamente como seu amigo disse-lhe no início, várias pessoas pensando junto, uma hora uma solução aparece. E o jovem ninja parece ter encontrado a resposta para seu impasse sobre como poderia enfrentar o poder de Deepa. Se a montanha não vai até você, você vai até a montanha, mas aparentemente, Boruto terá que trazer a montanha até ele.

Ao perceber que Boruto pode ter encontrado uma solução para seu dilema, vemos Kakashi pedindo um misterioso favor à Ibiki Morino, do departamento de Interrogação da Vila da Folha. Ibiki aparenta estar um tanto quanto receoso em ceder ajuda ao Rokudaime Hokage e isso levanta um questionamento: o que Kakashi pode ter pedido em outras situações?

O dia amanhece e Boruto coloca em prática as ideias que teve na noite anterior. Infelizmente, só nos foi mostrado o resultado desse novo Rasengan. O jutsu em si ainda é um mistério para os telespectadores, mas ao que parece, deixou Shikadai bem surpreso e nosso protagonista mais confiante.

Então por fim, o favor que Kakashi pediu a Ibiki é revelado. Para que Boruto mostre os resultados de seu treinamento, Kakashi solicitou um dos nukenin sob custódia da Vila para enfrentar Boruto em uma batalha. É certo dizer que seria uma revanche, já que ambos se enfrentaram em episódios anteriores e no mangá. O criminoso que enfrentará Boruto é ninguém mais ninguém menos do que Shojoji, o ninja do clone de cadáver.

O treino de Sarada

Enquanto Boruto se esforça em seu treinamento, Sarada Uchiha não fica para trás. Agora utilizando seu Sharingan para desviar de kunais lançadas por seu pai, Sasuke, Sarada ainda não consegue segurar seu doujutsu ativado por muito tempo. Apesar de ter se movimentado com destreza, a garota ainda termina com um pequeno corte em seu braço. E mesmo com a falta de resistência percebida por Sasuke, ele se impressiona com a filha e diz que já vê resultados do treinamento, o que a deixa muito feliz e motivada.

Sarada demonstra sua curiosidade quanto às evoluções do Sharingan, em particular o Mangekyou Sharingan, e esse assunto é delicado para o patriarca da família Uchiha, que prefere deixá-lo para outro dia.

Neste momento, vimos que, apesar de ter se demonstrado séria e firme nos episódios anteriores ao tratar Sarada e Boruto, feridos após a luta contra Deepa, Sakura se preocupa profundamente com a filha, causando um pequeno conflito entre as duas e trazendo um clima de tensão para família. Mas tudo que não seja uma profunda preocupação de mãe como conhecemos no mundo real também.

Com essa conversa entre a família Uchiha, o anime apresenta para o telespectador que não acompanhou a história de Naruto (são poucos, mas existem aqueles que acompanham apenas Boruto) um pouco mais sobre o Sharingan e sua evolução. E é provável que mais informações sobre esse poderoso doujutsu ainda sejam apresentadas.

Hinata, ao perceber que Sakura estava chateada com a situação com Sarada, decide se juntar à Ino e convidar a amiga para uma noite das garotas. Podemos ver as kunoichis em um momento descontraído, em um bar, com Ino e Sakura coradas pelo poder do álcool. O momento mais a bebida parecem derrubar as defesas de Sakura, que desabafa com facilidade sobre seus medos e sentimentos com as amigas.

Ino faz o papel da amiga que está ali para trazer a razão de volta à cabeça de Sakura, fazendo a lembrar-se de como é forte e destemida e que, com certeza, passou essa força para sua filha também. Antes de tudo, elas são mães de ninjas, e por mais que se preocupem profundamente, ainda devem dar apoio para que seus filhos se fortaleçam. E Ino ainda lembra Sakura de algo que ela lhe disse no passado: “Meninas precisam ser fortes para sobreviver”.

Massashi Kishimoto - Todos os direitos reservados

E aí? O que acharam desse episódio 170 de Boruto? Fiquem ligados no episódio de amanhã e logo mais traremos novas análises!

NOTA DO AUTOR(A)

As informações contidas nesta postagem são apenas para fins de informação geral. As informações são fornecidas pela Boruto Explorer e enquanto nos esforçamos para manter as informações atualizadas e corretas, não fazemos representações ou garantias de qualquer tipo, expressas ou implícitas, sobre a integridade, precisão, confiabilidade, adequação ou disponibilidade de a fins.