Análise do episódio 171 de Boruto

Senhoras e senhores, recuperados do mangá 51? Tá bom, vai, difícil pensar em nosso Narutinho “nas últimas”, contudo, vamos para os refrescos no anime e sem mais delongas, ir pra análise do episódio 171 de Boruto!

O episódio já se inicia com um treino estilo “pesadão” pro lado do Boruto que, com valentia, encarou de frente Shojoji conforme já havíamos dito que ocorreria na tradução que subimos ontem aqui no site da BE. Com um taijutsu valente, Boruto não teme o inimigo, avança e mesmo de frente com um jutsu de bloqueio intenso, seu novo rasengan com elemento vento (fuuton rasengan), mostra potência mesmo em um contra golpe. Vendo que não era eficiente na barreira de Shojoji, ele parte pra algo letal que, até kakashi reconhece a letalidade do golpe caso não houvesse a barreira: uma concentração maciça de chakra, tão grande quanto a de um Odama Rasengan, porém trabalhada a um nível semelhante molecular, ou seja, potente como uma bomba porém de chakra, que nas palavras de Boruto ‘destrói montanhas’ (quem dirá inimigos!)

TREINAMENTO FAMÍLIA UCHIHA

E quem diria que nessa análise do episódio 171 de Boruto, veríamos um Sasuke sensível e preocupado, e uma Sakura impiedosa no melhor estilo Tsunade também! O Easter Egg está aí, mas também está no estilo de batalha de Sarada e Sakura, sendo plenamente nostálgico ao recordar a batalha de Sasuke e Rock Lee em Naruto Clássico, quando o Uchiha copiava os movimentos do adversário para ser bom em taijutsu. Vale também o destaque do elogio de Sasuke quando diz que a Sakura sabe enxergar coisas que ele não vê, é uma clara alusão ao período clássico e shippuden, enxergando além do óbvio e da batalha, a tornando assim uma mãe mais do que zelosa, mas atenta em toda e qualquer situação.

Entre Sakura e Sarada, pontos relevantes foram expressados:

  • Sakura não é apenas extremamente forte, mas também habilidosa o suficiente para refinar todo o chakra em seu corpo;
  • Ao batalhar com sua filha, tinha traçado em sua mente trazer a tona estas fraquezas de Sarada que, mesmo determinante, percebeu quão importante é manter-se atenta em como analisar o oponente, e o momento exato de ação.

Um belo destaque para o embate de mãe e filha, fica em seu diálogo carregado de nostalgia, e o carinho de Sakura ao se reconhecer na postura da Sarada, e é claro, quem diria que o Hokage das sombras pediria trégua, e quem também diria que o ‘estilo Tsunade’ caiu super bem em Sakura, não é?

OROCHIMARU NÃO É PATERNAL OU BONZINHO...

Ora, ora, ora… e ele por fim se mostrando o vilão que é! Não romantizem a paternidade/maternidade de Orochimaru, e ele não tem planos afetuosos com seu filho Mitsuki, nem mesmo com Konoha… mas vocês ainda não estão prontos para essa conversa.

Apesar de estar em um tempo de paz, a obscuridade de suas intenções é latente quando por fim, sabemos de onde surgiram as raras células de Hashirama afinal, e em suas palavras:

“Isso aconteceu há muito tempo… sei que várias foram roubadas naquela época, sim, mas eu consegui recuperar a maioria, só que não encontrei algumas…”

Ai ai viu… nem dá pra passar pano hein, Orochimaru? De qualquer forma, Mitsuki demonstra melhoria em sua saúde, mas seu estado ainda é crítico devendo Orochimaru cuidar disso à sua maneira, pois ele ao menos reconhece a valia de seu ‘filho’.

E ai, curtiram a análise do episódio 171 de Boruto? não deixe de acompanhar nossas redes sociais, curtir e compartilhar o conteúdo e é claro, leve sua teoria sobre essa análise do episódio 171 de Boruto e também do 170 ao nosso Fórum Boruto Explorer.

Até semana que vem!

NOTA DO AUTOR(A)

As informações contidas nesta postagem são apenas para fins de informação geral. As informações são fornecidas pela Boruto Explorer e enquanto nos esforçamos para manter as informações atualizadas e corretas, não fazemos representações ou garantias de qualquer tipo, expressas ou implícitas, sobre a integridade, precisão, confiabilidade, adequação ou disponibilidade de a fins.