Análise do episódio 196 de Boruto

O episódio inicia com Koji Kashin já infiltrado em Konoha, e vemos então Mitsuki e Sarada em visita a casa dos Uzumaki, a qual resulta neles acompanhando Kawaki e Himawari no assistir do treinamento de combate (Shinobi Kumite) de Boruto com o pai, Naruto.

No treinamento vemos, como é tradicional, a utilização de dois selos pelas partes, um no início e outro no final: o “Selo do Confronto” (Tairitsu no In), que é o sinal universal de batalha entre os shinobi; e o “Selo da Reconciliação” (Wakai no In), que representa que ambos os oponentes ainda são colegas.

A batalha entre pai e filho mesclou uma dinâmica positiva entre taijutsu e ninjutsu, bem animada pelo estúdio “Jiwoo”. A desvantagem de Boruto perante Naruto era óbvia, mas Kawaki o ajudou através da “ressonância do Karma”: ele ativou o seu e isso estimulou o de Boruto.

Com o karma ativado, Boruto teve um nítido power-up, elevados todos os seus atributos shinobi: força física, velocidade e potencial ninjutsu, tendo conseguido pulverizar um Kage Bunshin de Naruto utilizando o Raiton: Jinraisen, sendo parabenizado pelo pai, ao final.

Após isso, Sarada reflete junto a Mitsuki que, para “não ficar para trás” em relação a Boruto, iria treinar muito e aprender um novo jutsu. Esse clima de rivalidade saudável nos traz uma nostalgia gostosa <3

Os Uchiha marcaram presença em um momento gostoso em família, no qual Sakura fica envergonhada quando Sasuke elogia sua nova receita culinária e Sarada até pede que os pais “parem de agir como recém-casados”. Hihi, e você nem leu o mangá, nem Sasuke Retsuden, hein, Sarada… ♥

Sarada pede ao pai que a ensine o Chidori, para acompanhar o fortalecimento de Boruto, e Sasuke se pega refletindo sobre ele e Naruto, “Um rival que o faça melhorar”, nos dando mais um momento de nostalgia boa <3

Sasuke aceita, avisando a filha que o treinamento será muito mais pesado, mas não antes de pedir a anuência de Sakura com o olhar… Depois da última DR por causa de treinamento da pimpolha, nunca mais não verifica com a tsuma, né, Sasuke? 😛

Esse pedido da pequena Uchiha nos prepara para os próximos eventos da série.

Ao final, somos levados a Kawaki, que reflete sobre o treinamento que presenciou.

Precisamos lembrar que todas as referências de vida do garoto são negativas, e agora, por um flashback, vimos também quanto a treinamento:

Jigen o treinava para que ele tivesse domínio do karma, e assim pudesse usar o menino no futuro. Ele fazia uso, além de violência física, da verbal, lembrando Kawaki constantemente de ser “inútil e não ter ninguém”, ser alguém vazio que somente o karma poderia preencher (um “receptáculo” em todos os sentidos e para todos os efeitos).

Então o jovem estranhou a leveza e o bom humor de Naruto com Boruto. “Você não bate nele, não é?” ele questiona Naruto, quebrando nossos corações, “Pareceu  divertido”.

Naruto se propõe a ensiná-lo ninjutsu, e explica a função do chakra de “unificar as pessoas sendo elas shinobi ou não”, nos emocionando com mais nostalgia(<3), ao indicar os ideais do “Ninshuu”, pregado por Hagoromo Ootsutsuki, o Rikudou Sennin.

Por fim, Naruto fala de como a amizade pode mudar o mundo, nos proporcionando mais nostalgia pela foto do Time 7 de Kakashi (<3 quanta, hein?!), e deixando Kawaki reflexivo a ponto de decidir consertar o vaso de Himawari, que havia quebrado.

Enquanto isso, Koji Kashin localiza o garoto. Quais são os objetivos do inner da Kara?!

Foi mais um episódio que agregou muito ao mangá, com momentos divertidos, emocionantes e nostálgicos (demais!). Aguardamos ansiosos pelos episódios seguintes!

 

Cezário, Beatriz Tennant, redatores.

NOTA DO AUTOR(A)

As informações contidas nesta postagem são apenas para fins de informação geral. As informações são fornecidas pela Boruto Explorer e enquanto nos esforçamos para manter as informações atualizadas e corretas, não fazemos representações ou garantias de qualquer tipo, expressas ou implícitas, sobre a integridade, precisão, confiabilidade, adequação ou disponibilidade de a fins.